ESCRAVO SEXUAL - Cunhadinha sapeca!

Cunhadinha sapeca!

Logo que nos casamos eu e minha esposa Amanda fomos morar em uma casa próxima a casa de meus sogros, e como sempre me dei muito bem com minha cunhada Vanessa ela não saia de nossa casa, vivia usando nosso computador para fazer trabalhos de escola e acessar a Internet, inclusive sempre que podia dormia em casa, já tinha até uma cama para ela, tinha até a chave da casa, tamanha a intimidade e confiança que tínhamos nela. Eu trabalho mais em casa e minha esposa trabalha durante o dia e estuda a noite, então muitas vezes ficava sozinho com minha cunhadinha de 16 aninhos, 1,65m, 48 kg, corpinho mignon, seios médios, bundinha arrebitadinha e os pelinhos das pernas descoloridos, um verdadeiro Tesão. Certa noite quando estava transando com minha esposa, notei que a Vanessa havia aberto um pouco a porta do quarto e estava espiando, isso me deixou louco de Tesão, depois da Transa fui tomar banho e deixei a porta do banheiro aberta que dava de frente para o quarto de Vanessa que estava com a porta aberta, mas ela parecia estar dormindo, nosso Box é de vidro blindex mas que permite que se veja bem através dele, percebi que a luz do quarto de minha cunhada se acendera e logo em seguida se apagara senti que Vanessa estava me observando de sua cama com uma visão privilegiada, a essa altura meu pau estava duríssimo, eu modéstia a parte sou um cara muito bonito, tenho 1,80m, 78kg bem delineados, malho bastante, e tenho um dote considerável de 20cm, continuei meu banho, me exibindo para ela, que dava para perceber estava se deliciando com a visão de meu corpo, quando fui me secar, peguei a toalha e deixei a porta do Box aberta, dando agora uma visão direta do meu pênis a ela, isso estava me deixando doido de vontade de comer minha cunhadinha, me enrolei na toalha e fui ao quarto dela, ela fingia estar dormindo, largada encima da cama com uma camisolinha transparente deixando seus peitinhos a mostra e uma micro tanguinha que dava para ver seus pentelhinhos saindo, cheguei pertinho dela só de toalha, coloquei minha mão sobre sua perna, ela não reagiu, deslizei minha mão sobre suas coxas, fui descendo cheguei até seu monte de Vênus, sem qualquer reação dela, que continuou fingindo que estava dormindo, comecei a alisar sua xaninha que estava encharcada de Tesão, aí minha esposa me chamou do nosso quarto, amor você não vai dormir, saí de fininho e fingi que estava escovando os dentes, nessa noite tive que passar a vara de novo na minha esposa, para saciar meu fogo. No dia seguinte saí para levar minha esposa ao trabalho e como sempre faço voltei para casa, imaginei que minha cunhada já teria saído para a escola, quando cheguei lá ela estava tomando banho, com a porta do banheiro e do Box aberta, que maravilha seu corpinho todo nu, um Tesão, fiquei de pau duro na hora, não deu pra fazer nada, pois logo minha sogra estava na porta chamando pela Vanessa para ir pra aula, foram vários dias assim hora eu me exibindo para ela, hora ela se exibindo para mim, ás vezes conversávamos assuntos picantes como virgindade e namorados, ela dizia que era virgem mas que não queria perder seu cabacinho com um moleque da idade dela, mas sim com um homem experiente como eu, essa foi a deixa que eu te como, só faltava oportunidade, nesse mesmo dia no início da noite, minha esposa já tinha ido para a faculdade, minha cunhada chegou cheirosinha com banho tomado, eu pensei que pena ela já tomou banho, no entanto, ela pediu para que eu fizesse uma massagem nela pois ela estava com dores nas costas, pedi para que ela se deitasse na cama e comecei a massagear suas costas por cima da camiseta, falei para ela que o ideal, era passar um creme para aproveitar melhor a massagem, ela falou que estava sem sutiã, aliás sem sutiã e com um micro xortinho, mas super folgado e com uma mini calcinha, perguntou se não tinha problema eu disse que não havia problema nenhum, que a massagem era nas costas, ela então tirou a blusa de costas para mim virando só a cabeça olhando em direção ao meu pênis, vendo que minha barraca já estava armada, fui pegar o creme no banheiro e aproveitei para tirar a cueca, deixando o bicho bem soltinho, já que estava com um calção tipo samba-canção bem folgado, voltei ela já estava deitada de bruços com as pernas bem abertas, dava para ver sua calcinha, ela falou para mim que a massagem estava muito boa se caso ela dormisse que eu continuasse, passei a massagear suas costas com creme e sempre que podia dava uma encostadinha com meu caralho nela, ela já estava fingindo estar dormindo, subi na cama para massagear melhor suas costas, tirei meu pau de lado e conforme massageava suas costas roçava ele na bundinha dela, eu tava quase gozando, chegava a encosta-lo na entradinha da racha dela e ela nem se mexia, desci da cama novamente e comecei a massagear as pernas dela, comecei pelos pés, fui subindo até os joelhos, ela estava com as mãos espalmadas para cima, fingindo estar em sono profundo, pensei vou cair fundo nessa brincadeira, tirei meu calção fiquei nuzinho e continuei a massagem, fui ficando cada vez mais sensual nos toques, cheguei até a parte interna das coxas, passei a mão na sua peludinha, sua rachinha estava encharcada de Tesão, comecei a dedilhar sua xaninha, ela gemia baixinho, meu pau estava estourando de Tesão, já tinha passado ele em todo corpo dela, coloquei então em cima da mão dela, que não agüentou e segurou ele bem forte e começou me punhetar, ainda fingindo estar dormindo, tirei a calcinha dela e o xortinho, estávamos os dois nuzinhos em pelo, deixei meu pau na mão dela e comecei a lamber o cuzinho da minha cunhadinha, que passou a se mexer sensualmente, comecei a lamber sua rachinha e que delícia de suco, ela estava pingando de Tesão, sorvi todo seu caldinho, ela começou a gemer mais alto, ainda fingindo estar dormindo, continuei chupando a xaninha dela e ela se virou olhou nos meus olhos e levou meu pau até sua boca, não demorou muito e nos dois gozamos, eu enchi a boquinha dela com meu leitinho quente, ela não engoliu como faz minha esposa, pois não tem tanta experiência assim, ficamos uns 30 segundos como estávamos, eu com o rosto na xaninha dela e ela com meu pau em sua boca, nos viramos em seguida e nos beijamos ardentemente, logo meu pau estava duro novamente, comecei a chupar seu deliciosos peitinhos e cutucar a rachinha dela com minha vara, ela disse que não agüentava mais de vontade e forçou seu corpo contra o meu, rompendo seu cabacinho, ela estava gemendo tão alto que tive que tampar sua boca, logo gozamos novamente. Desde então passei a transar com minha cunhadinha sempre que possível, fazemos cada loucura, é nosso segredinho, ela tem a vida dela, tem até namorado firme e eu tenho a minha com a irmã dela, somos muito amigos e ajudamos um ao outro em tudo, inclusive na cama.